Estados Unidos

Washington D.C.: divando na capital dos Estados Unidos

Depois de encerrar a Linha Musical em New Orleans, era hora de seguir para a capital do país. Minha primeira viagem internacional foi pra Washington, em 2008…a trabalho. Na época não consegui aproveitar tanto, afinal eu estava lá a trabalho, mas já tinha ficado com uma boa impressão da cidade.

Depois de 9 anos, era hora de rever a capital dos Estados Unidos, mas a impressão é que eu estava vendo pela primeira vez. Acho que agora entendo quando dizem que cada viagem é única, mesmo quando você vai para o mesmo destino. Você muda, a cidade muda…e a viagem muda.

Estava bem curiosa em chegar logo na cidade e grande parte é por conta da vida cultural e diversos museus que existem lá. Além disso, ia aproveitar pra visitar um amigo que mora lá (Oi, André!).

Então, vamos lá que hoje é dia de falar da capital dos Estados Unidos.

Vista área do National Mall em Washington

4 de julho, muito sol e arte em Washington

Bem, Washington é daquelas cidades que vão render mais de um post porque tem muita coisa pra contar de lá. Então, esse daqui é um apanhado geral de como foi a experiência na cidade.

Nós chegamos em Washington alguns dias antes do Dia da Independência, o famoso 4 de julho. Não foi nada friamente calculado, na verdade. Mas acabou sendo interessante ver o Dia da Independência por lá.

Quando eu visitei a cidade da primeira vez eu trabalhava numa Associação Cultural e fui para cuidar da obra da artista. Entre a montagem da exposição e a Vernissage, foram 2 dias livres só. Então, nessa época eu só conheci o museu onde foi a exposição e uma pequena parte da National Gallery, onde vi pela primeira vez pessoalmente as obras de Edward Hopper.

E gamei! Tanto nas obras, quanto nas galerias. Então, nessa segunda visita estava animada para conhecer ainda mais museus e rever o que eu tinha visitado com mais calma. Na época eu não estava muito interessada em ver os prédios do governo, então só passei pela Casa Branca mesmo.

Tentei achar as fotos dessa viagem e parece que se perderam para sempre. Enfim…(rs)

Bem, nessa viagem ficamos uns nove dias por lá antes de seguir para Nova York. Eu poderia ficar ainda mais tempo que não daria pra ver tudo que a cidade oferece.

Eu já tinha gostado de Washington na minha primeira visita e nessa nova só se confirmou que é um lugar muito bacana.

Onde ficar em Washington

Bem, Estados Unidos é um país caro! E a capital então, mais ainda. Tentei Airbnb, mas no fim achei um hotel em Chinatown que foi onde ficamos. Não poderia ter optado por um lugar melhor.

O hotel ficava bem ao lado do portal de Chinatown. E como a cidade é plana, dava pra fazer tudo a pé.

Portal de Chinatown em Washington

Além disso o bairro é cheio de restaurantes bons e baratos. Mas, o que desanimou um pouco no fim do dia, é que tem muito rato pela cidade. Certa noite quando voltávamos pro hotel, passou um saindo de um restaurante. Ainda bem que não foi no que almoçamos…hahaha

Se você estiver pensando em visitar Washington eu recomendo esse hotel. Chama POD Hotel e os quartos não são muito grandes, mas pra dormir depois de andar o dia todo está valendo. 😉

Em baixo do hotel tem um restaurante onde jantamos umas duas vezes. Bem honesta a comida e eles servem café da manhã o dia todo. Essa é uma prática comum em vários restaurantes: servir café da manhã o dia todo.

Também, o café da manhã americano é o que? Bacon, ovo, panqueca, hash brown – uma espécie de batata rosti, mas sem recheio – pão…é uma refeição inteira!! Por sinal, enquanto estive pelos Estados Unidos fui atrás da receita original de panqueca e ensinei a fazer nesse post.

O que fazer em Washington

A cidade é uma cidade de trabalho, por assim dizer. Quando estive por lá em 2008 a neta da artista que viajou comigo encontrou um amigo diplomata por lá. Lembro que saímos para beber à noite e todo mundo parecia diplomata no lugar….hahaha

Então, dependendo da área da cidade, acho que essa sensação de política+trabalho fica no ar. Mas no geral o que me atrai mesmo em Washington é a parte cultural.

As dezenas de museus da capital

São mais de 69 museus na cidade. TODOS DE GRAÇA!!! Isso sem contar monumentos públicos, como o Monumento do Lincoln. Se contar vai pra mais de 200!!

Não tem como não ser feliz nessa cidade com tanto museu pra ver e visitar! Se você passar 2 meses na cidade e visitar um por dia, ainda não dá conta de ver tudo. (rs)

Ah…então, Margot…quais são os mais legais de visitar? Bem, isso fica pro próximo post com a lista dos 10 museus mais bacanas em Washington D.C. Aguarde. Mas, posso dizer que se você não tiver muito tempo na cidade e só puder visitar um museu..vá a National Gallery Art! 😉

Este museu/galeria é formado por dois prédios, o West (oeste) e o East (leste). O prédio West expõe as obras de arte clássica, já o East tem as coleções de arte moderna e contemporânea.

Entre a entrada dos dois prédios existem algumas pirâmides de vidro que faz lembrar a Pirâmide do Louvre…e com razão! O artista é o mesmo, Ieoh Ming Pei. Essas pirâmides podem ser vistas por dentro quando você usa a passagem subterrânea que existe ligando as duas galerias. =)

Mulher pintando dentro de museu

A National Gallery está entre os 10 museus mais visitados do mundo. É um passeio para ficar o dia todo se entretendo entre os Rembrandts, as fotografias contemporâneas…e, por mim, não deixe de ver a sala com as telas do El Greco.

É a primeira vez que vejo pessoalmente as telas do artista e é arrebatador! Outra coisa que é muito bacana de ver são as pessoas que estudam as obras. Existem diversos cavaletes espalhados pelo museu e quem quiser pode levar o próprio material de pintura e estudar as obras. Como essa senhora está fazendo aqui na foto.

Outra coisa que é muito bacana de ver são as pessoas que estudam as obras. Existem diversos cavaletes espalhados pelo museu e quem quiser pode levar o próprio material de pintura e estudar as obras. Como essa senhora está fazendo aqui na foto.

Mas conto melhor sobre a arte de Washington no próximo post. 😉

Alexandria e a parte Off-Washington D.C.

Como eu comentei, tenho um amigo que mora há algum tempo na cidade. Ele nos convidou por um passeio pela cidade, nos lugares onde geralmente os turistas não vão muito.

Começamos o dia por Old Town Alexandria, uma cidade muito charmosa que fica na Virgínia, bem nos arredores de Washington. Lá é a cidade onde nasceu George Washington e por isso é um local preservado com as casas vitorianas da época e ruas originais onde o clima pacato da cidade corre devagar.

Old Alexandria em Washington

Todo o lugar é super bacana e fofo. E existem muitos restaurantes charmosos por lá. Nós almoçamos em um lugar que servia várias opções de fish and tip, a famosa combinação de peixe e batatas, tudo devidamente frito! hahaha

Alexandria está na beira do Rio Potomac, que separa Virgínia de Washington, e por isso tem uma parte da cidade bem turística na beira do rio, com o cais cheio de restaurantes descolados.



Andamos pelo bairro e paramos em dois lugares curiosos. Um deles é a casa mais estreita de Alexandria. No passado o imposto era pago pelo tamanho da fachada, por isso as pessoas faziam fachadas estreitas, mas na verdade as casas são espaçosas por dentro. Malandrinhos…(rs)

Outra foi a casa do próprio George Washington. Quando estávamos olhando a casa, um homem que estava no quintal ao lado veio falar conosco. Ele nos contou que a casa cotinua na família, e que aquela menina ali na frente com quem ele estava brincando era a tatatatatararara-nãoseiquantos-neta dele.

Ele, obviamente, era o pai da menina. E a esposa é quem pertence a família Washginton. Quem diria! Às vezes a gente sai pra passear e não imagina que vai ver a tatatararara neta do primeiro presidente dos Estados Unidos!

Nós fomos até Old Town Alexandria de carro, mas dá pra ir de metrô até lá. Só pegar a linha amarela e em menos de 25 minutos você chegará na estação King Street, a rua principal da cidade.

Depois de Alexandria nós fomos conhecer alguns bairros que estão em ascensão em Washington e outros lugares peculiares. Uma das paradas era Navy Yard.

O bairro fica à beira do Rio Anacostia, que mais a frente se encontra com o Potomac, e está cheia de empreendimentos imobiliários novos, crescendo e aparecendo. O bairro é um misto de restaurantes e bares descolados, lugares para fazer compras e atividade ao ar livre.

Antes do bairro começar a ser renovado e crescer, era uma parte mais industrial da cidade e por isso o lugar é repleto de prédios nesse estilo, um deles inclusive abriga a Escola de Trapézio. Bacana, né? =)

Outro ponto interessante no bairro é que construíram uma fonte com um espelho d’água que as pessoas transformaram em piscina! E no verão a galera aproveita pra se refrescar por lá. Como não é fundo, as crianças ficam brincando tranquilamente.

Cada um tem o Piscinão de Ramos que merece… #NãoResisti (rs) Tava quente nesse dia e se eu soubesse, tinha ido de biquíni. hahaha

Depois disso passamos no Captain SeaFood Fish Market, que me fez lembrar da época em que eu ia no mercado de peixe de Niterói. O local é um grande descampado com as barracas vendendo peixes e frutos do mar com algumas opções para comer lá mesmo se quiser.

Se eu estivesse num lugar com fogão, tinha comprado um monte de coisa…hahaha

Por enquanto ainda é um local rústico, mas pelo projeto que vi nos tapumes de obras ao lado, vai mudar bastante de como é hoje.

National Mall, monumentos e o 4 de Julho

O National Mall é um parque que liga o Capitólio até o Lincoln Memorial. É uma grande avenida que reúne os principais pontos turísticos da cidade. Ao longo e margeando o National Mall existem muitos museus e monumentos.

Farei um post só sobre esse passeio para falar com mais detalhes tudo que tem no caminho. Senão esse post ficaria enoooooooorme…(rs)

Pois bem, no National Mall existe o Monumento a Washington, que é o obelisco que todo mundo já deve ter visto no cinema.

Descobrimos que lá era o melhor lugar para assistir a queima de fogos do 4 de julho. Saímos cedo, andamos a beça pelo National Mall e paramos no gramado ao redor do obelisco no fim da tarde.

Sentada no gramado do National Mall
Esperando os fogos do 4 de julho

Depois de esperar algumas horas, cochilar na grama e ficar observando os nativos ao redor, começou a queima de fogos. Te contar que foi uma decepção. Sem graça a beça.

Não tinha muitos fogos, a música que acompanhava era mais ou menos e acabou rápido. Acho que fiquei mal acostumada com as queimas de fogos de Copacabana…hahaha

Pelas ruas tinha muita gente vestida com as cores e a bandeira do país. Eu imaginei que iam rolar festas a céu aberto, shows, essas coisas. Mas não teve nada disso, só num lugar tinha uma banda num palco bem furreca.

Não sei se é porque é o Trump que tá no poder que a comemoração foi tão sem graça, mas eu esperava mais. Mal de brasileiro que acha que tudo é Carnaval? Talvez. (rs)

Durante a queima de fogos tocou “Party in The U.S.A” da Miley Cyrus – música velha – e não tocou “Fireworks” da Katy Perry…que faria mais sentido….(rs)

Bem, esses foram os primeiros momentos na capital dos Estados Unidos. Como eu disse, Washington é uma cidade com muito para ver, por isso, aguarde os próximos posts sobre a cidade. 😉




SalvarSalvar

SalvarSalvar

SalvarSalvar

Classificação

5 média baseada em 1 ratings

  • Excelente
    1
  • Muito Bom
    0
  • Médio
    0
  • Fraco
    0
  • Péssimo
    0

Margot

Quando minha vida saiu dos trilhos percebi que podia ir pra qualquer lugar. Virei mochileira depois dos 30 e criei o blog pra contar sobre essa aventura.

LEAVE A COMMENT

Diva De Mochila

No Diva de Mochila você acompanha a viagem de volta ao mundo de uma carioca-paulista que virou mochileira depois dos 30. Bem-vindo (a) ao blog!

No instagram

%d blogueiros gostam disto: