O National Mall de Washington D.C.

A “rua” mais famosa da capital dos EUA:
National Mall de Washington D.C.

Toda cidade tem sua rua famosa. Capitais de países então, mais ainda. Em Brasília tem a Esplanada dos Ministérios que (pra mim) é um lugar impressionante. Em Washington tem o National Mall, com diversos prédios e monumentos.

Andei pelo National Mall (inteiro) três vezes na vida: a primeira quando viajei a trabalho para a cidade, e a segunda e terceira foram nesse viagem. Uma com o Edu e outra com a minha mãe e a dele. Pois é, elas vieram nos visitar na viagem, mas isso é assunto do próximo post. 😉

Bem, acho que dá pra dizer que conheci bem a fundo o National Mall e acho que mesmo quem não é fissurado pela cultura norte americana (como é o meu caso) deveria fazer um passeio por lá para conhecer. Então, vamos simbora!

Onde começa e onde termina o National Mall?

Tecnicamente o National Mall começa Capitólio dos Estados Unidos e termina no Monumento a Washington – aquele obelisco gigante que se vê em todo filme no final de um grande espelho d’água, sabe?

O tal espelho d’água está entre o Monumento a Washington – que antes do obelisco era uma estátua do presidente – e o Memorial do Lincoln, aquele mesmo que tem o Lincoln sentado numa cadeira enorme.

National Mall de Washington D.C.
Lá no fundo o Capitólio e ali à esquerda o gramado que separar o Mall e a Casa Branca.

 

Pois bem, logo de cara posso dizer que andar por todo o National Mall é um baita exercício. Toda a extensão dessa via tem aproximadamente uns 3 km, contando dos degraus do Capitólio até o Lincoln Memorial (esse aqui na foto).  

Memorial do Lincoln
Lincoln Memorial

Para ver tudo o legal é ir do Capitólio ao Memorial por um lado e voltar pelo outro. Nessa são 6 Km. Que, cá entre nós, não é muita coisa quando você está passeando, mas a questão é…faz um calor brabo no verão de lá e o National Mall não tem muita área coberta onde dê pra andar. Ou seja, você vai andar no sol! Eu fiquei B-R-O-N-Z-E-A-D-A de passear por lá….e pingando! hahahhaa

Então a minha primeira dica é, se for conhecer o Mall a pé separe o protetor solar e um desodorante POTENTE! hahaha

Mas, se você não quiser andar, ou estiver com o tempo mais apertado, pode pegar um ônibus “Hop On Hop Off Bus” que vai te deixando nos lugares. Esse ônibus é comum em cidade turísticas e você paga um valor fixo e pode descer e subir em qualquer um dos pontos em que ele para. Vi que o de Washington custa $54 e você pode usar o dia todo.

Andando pelo Mall o Edu comentou que achou lá muito parecido com um local na França….não para menos, o Urbanista que projetou essa via era francês e chamava-se Pierre L’Enfant.

Ao longo de todo o National existem diversos prédios históricos como o Museu Nacional da História Americana, o Museu Nacional de História Natural, a Galeria Nacional de Arte – inclusive falei deles nesse post -, o Jardim Botânico, o Museu Aeroespacial, o Museus Nacional do Índio Americano, o Museu Nacional de Arte Africana entre outros.

Monumento da Segunda Guerra Mundial
Monumento à Segunda Guerra Mundial

Os prédios todos são bem interessante de ver. Acaba sendo um pouco engraçado a mistura de arquiteturas (diferente de Brasília) e os estilos diferentes de cada um. Há, tem também o Monumento da Segunda Guerra que é enorme e tem um chafariz+espelho d’água no meio. Quando fomos lá, o pessoal tava refrescando os pés lá…

No geral o Mall é um passeio bem turístico, mas é um local daqueles que deve ser visto. Por que?

Alguns pontos altos do National Mall

Pra começar, a National Gallery of Art – que falei mais detalhadamente nesse post – é um lugar imperdível. Próxima dela há o Parque de Esculturas ao Ar Livre que é muito bacana.

Além disso os museus do Instituto Smithsonian são muito divertidos, é uma ótima pedida pra quem vai viajar com criança.

No mais, é muito bacana ver ao vivo tantos prédios e lugares que você com certeza já viu em filmes e séries como “West Wing”, “House of Cards”, “Forrest Gump”, “Uma Noite no Museu 2”, “A Lenda do Tesouro Perdido”…minhas referências são bem ecléticas, né? hahaha

Monumento a Washington
Você deve lembrar da cena em que o Forrest Gump corre por esse espelho d’água pra encontrar a atual primeira dama (a atriz) do House of Cards, né? (rs)

Acho que para quem é nascido no país, deve ser emocionante conhecer a capital e andar pelo National Mall que já teve tanta história rolando por lá (manifestações, desfiles, etc). Para mim o interessante é ver o tamanho daquilo tudo e poder ficar pirando nos diversos prédios.

Mas, já fui ander três vezes por lá (ida e volta), já deu minha cota…(rs)

Ei, Margot…e a Casa Branca?

Casa Branca em Washington

A Casa Branca não fica no National Mall propriamente dito, mas é só pega pro lado e dá pra chegar lá facilmente. A primeira vez que visitei era 2008. Já havia acontecido o 11 de Setembro, mas ainda não parecia ter uma neurose tão grande, então, era possível ver a Casa Branca perfeitamente.

Hoje em dia, parece que o governo está mais preocupado e então existem muitas árvores que cobrem a fachada e acaba sendo bem difícil ver o edifício. Eu tinha uma foto de 2008 em frente ao portão de lá, mas não achei em lugar nenhum…dessa vez vi o prédio de bem mais longe.

Uma curiosidade é que só quem é norte americano pode fazer a visita guiada na Casa Branca, então, nem se preocupe em correr atrás disso, você só verá mesmo o prédio de longe…exceto se você nasceu lá.

E esse post encerra a minha série de posts sobre Washington. Se você não viu os outros, aqui tem o primeiro, e aqui o segundo em que falo só sobre os museus da cidade.

Lá é um lugar impressionante e que não merece ser negligenciado. Quando as mãe vieram nos visitar em Nova York, fomos e voltamos pra lá no mesmo dia – já que são três horas de trem – e foi ótimo. A Estação de Trem é bem atrás do Capitólio, o que facilita muito.

Então, fica a dica pra você que quer visitar o National Mall de Washington D.C. E se tiver alguma dúvida e eu puder ajudar, só comentar aqui embaixo. 😉 Ah…e se lembrar de mais filme e séries que mostram o Mall comenta também… \o/

Próxima parada: Nova York.

Quando minha vida saiu dos trilhos percebi que podia ir pra qualquer lugar. Virei mochileira depois dos 30 e criei o blog pra contar sobre essa aventura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.