Museus imperdíveis em Washington D.C.

Os 5 museus mais bacanas de Washington

Eu gostei tanto, mas tanto de Washington que poderia voltar muitas e muitas vezes. Talvez não consiga, pois pretendemos passar pelo Irã e o carimbo do Irã no passaporte é porta fechada pra entrar nos Estados Unidos.

Mas, quando estiver liberado de novo – daqui uns 8 anos quando o passaporte vencer e precisar tirar outro – voltarei com certeza à capital dos Estados Unidos para ver os museus que ficaram de fora.

Você não precisa esperar tanto quanto eu….hahaha Então, montei um guia com os 10 museus que considero imperdíveis (e que não custam nenhuma doleta) pra quem for visitar a cidade.

Se você for daquelas pessoas que pensam “Ai, Margot, mas eu não entendo tanto de arte…”, pode parar por aí. Você não vai deixar de curtir esses lugares e aproveitar a arte da sua maneira. 😉

Então, bora pra lista.

1. National Gallery Art

National Gallery Art em Washington D.C.

Eu já falei um pouco sobre a Galeria Nacional de Arte no primeiro post que fiz sobre Washington, pra você ter ideia do quanto eu gosto dessa galeria.

São dois prédios, o West (oeste) e o East (leste) e cada um abriga um período diferente da História da Arte. A coleção abrange obras mundiais de todas as épocas e os dois prédios são interligados por uma passagem subterrânea.

O West Building é dedicado à arte européia e americana do século XIII ao início do século XX, bem como obras espanholas, holandesas, flamengas, francesas e alemãs do século XVII.

Já o East Building abrange a produção de arte mais atual, incluindo uma peça+móbile de quase 10 metros de comprimento do Alexander Calder que fica no hall central do prédio. Imperdível. <3

Você não deve perder: “Retrato de Ginevra de ‘Benci”, de Leonardo da Vinci, o único trabalho do artista no Hemisfério Ocidental.

Tempo de visita: Eu sugiro separar um dia inteiro para cada prédio. Mas essa sou eu, a louca por Artes…rs No geral, é bom separar pelo menos 4 horas. O que lhe dá 2 horas em cada edifício.

Endereço: 6th & Constitution Ave NW, Washington, DC 20565.

2National Museum of Natural History

Museu Nacional de História Natural de Washinton D.C.

A jóia no coração do Museu de História Natural é um cinema IMAX de última geração e um Centro de Descobertas que abriga uma cafeteria e espaço de exposição. A rotunda do museu também é uma estrutura impressionante, dominada por um elefante africano de oito toneladas.

Em 2003, a ala oeste restaurada do museu abriu o seu brilhante e acolhedor Salão dos Mamíferos Kenneth E Behring, de 25 mil metros quadrados, apresentando exibições interativas ao lado de 274 animais empalhados que impressionam com poses dramáticas.

Você não deve perder: Nenhuma visita ao Museu de História Natural está completa sem dar uma olhada no Hope Diamond. Comprado em 1668 pelo rei Luís XIV da França, o Hope Diamond tem 45 quilates e já atraiu mais de 1 milhão de visitantes.

Dizem que o diamante carrega uma maldição. Bem, todo diamante famoso carrega alguma história misteriosa ou curiosa por trás…(rs) Quando vi pela primeira vez, a única coisa que pensei é que o diamante do filme Titanic parecia com ele. Não para menos, outro nome da peça é “Le bleu de France” (O Azul da França).

E de fato, apesar do colar do Titanic ter sido criado exclusivamente para o filme, ele foi inspirado no Hope Diamond.

Tempo de visita: Quando eu fui pela primeira vez, fiquei lá um dia inteiro. Mas eu sugiro pelo menos três horas para visitar com calma o salão de minerais e gemas, o salão oceânico e o zoológico de insetos vivos. 😉

Endereço: 10th St. & Constitution Ave. NW, Washington, DC 20560.

3. National Air & Space Museum

Museu Aeroespacial em Washington D.C.

Esse é um museu que provavelmente você já ouviu falar. Principalmente se você tiver assistido ao filme “Uma Noite no Museu 2”.

O imponente bloco modernista abriga três galerias de pé-duplo com mísseis, aeronaves e estações espaciais penduradas bem acima das nossas cabeças.

No centro do “Salão do Vôo”, os mísseis nucleares soviéticos dos Estados Unidos Pershing-II e soviéticos SS-20 ficam ao lado da popular estação da rocha da lua, onde os visitantes podem acariciar uma amostra lunar adquirida na missão Apollo 17 de 1972.

O 1901 Wright Flyer – o primeiro ofício pilotado para manter o vôo controlado e sustentado (se apenas por alguns segundos) – e o espírito de St Louis de Charles Lindbergh estão ambos suspensos aqui.

Você não deve perder: Exposições permanentes no museu detalham o histórico de aviação, viagens espaciais e comunicações por satélite. Uma das peças imperdíveis é um modelo de teste do Telescópio Espacial Hubble, que atualmente está em órbita no espaço, tirando instantâneos do Universo.

Tempo de visita: Umas 2 a 3 horas. Pra quem vai com criança, ou é fissurado pelo espaço, vai acabar gastando muito tempo lá dentro sem nem perceber. Mas é bom chegar cedo pra tentar pegar o mais vazio, ou menos tumultuado possível.

Endereço: 600 Independence Ave SW, Washington, DC 20560.

4. National Museum of African American History and Culture

Museu da História e Cultura Aforamericana em Washington

Essa é a mais nova adição do Mall, a avenida que liga o prédio do Congresso ao Monumento do Lincoln, este museu de oito andares desencadeia imensas multidões. Todos os dias que passei por lá estava com filas imensas!

Em outras palavras, precisa garantir o ingresso com antecedência. A coleção homenageia as figuras históricas, momentos e eventos que moldaram a experiência afro-americana.

As exposições são minuciosas e abundantes, para aproveitar tudo de verdade levaria dias…e a cafeteria, Sweet Home Cafe, caiu no gosto da James Beard Foundation, que a nomeou semi-finalista na melhor categoria de restaurantes novos em 2017.

Você não deve perder: a exibição “Musical Crossroads”, que tem um par de sapatos de Sammy Davis Jr., juntamente com o Cadillac vermelho de Chuck Berry.

Tempo de visita: Separe pelo menos 3 horas para explorar os 25 mil quadrados de espaço de exposição que contém cerca de 3000 objetos.

Endereço: 1400 Constitution Ave NW, Washington, DC 20560.

5. National Museum of Women in Arts

Museu das Mulheres na Arte em Washington D.C.

A primeira vez que fui a Washington, em 2008, foi uma viagem a trabalho para acompanhar uma exposição que aconteceu nesse museu. Mas não é só por isso que ele está na lista.

Ele entra aqui porque é um museu dedicado às mulheres na Arte. Incrível. <3

O Museu Nacional de Mulheres nas Artes abriga uma coleção de mais de 4.500 obras de mais de 1.000 mulheres do século XVI até o presente. Os destaques incluem a dinâmica Sagrada Família da Lavinia Fontana, com St John.

Outras artistas representadas incluem Elisabetta Sirani, Alma Thomas, Barbara Hepworth e Louise Bourgeois. Há também coleções especiais de estampas botânicas do século XVII de Sibylla Merian e obras de ourives britânicas e irlandesas dos séculos XVII ao XIX.

Embora tenha sido fundado em 1981 por Wallace e Wilhelmina Holladay, o museu não ocupou seu atual edifício Renaissance Renaissance (de Waddy Butler Wood) com de 70 mil metros quadrados até seis anos depois da inauguração.

Você não pode perder: “Autorretrato dedicado a Leon Trotsky” que a Frida Kahlo pintou em 1937. É lindo e imponente.

Tempo de visita: No mínimo 2 horas. Pra quem gosta de lojas de presentes de museus, a desse é bem bacana. Só perde pra da National Gallery, obviamente. (rs)

Endereço: 1250 New York Ave NW, Washington, DC 20005.

Existem muitos outros museus bacanas em Washington D.C., como o Newseum (dedicado ao Jornalismo) e o International Spy Museum. Esses que listei são os que eu acho imperdíveis e valem o esforço pra conhecer, mesmo que você fique pouco tempo na cidade.

Pra mim, o maior atrativo de Washington D.C. são os museus. Voltaria muitas outras vezes, ou ficaria mais tempo, só pra ver tudo que ficou de fora. Tenho muitas boas lembranças da cidade e saí de lá com a sensação que aproveitei só um terço do que poderia.

Se você vai visitar a cidade, então o próximo post também vai te interessar, pelo menos eu acho. Fica de olho então que amanhã sai o post sobre o Mall de Washington D.C. 😉

Quando minha vida saiu dos trilhos percebi que podia ir pra qualquer lugar. Virei mochileira depois dos 30 e criei o blog pra contar sobre essa aventura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.