Anchorage, o lugar onde o vento faz a curva no Alaska

– Você foi ao Alaska?
– Sim, mas só em Anchorage…

Quando contei para as pessoas que estava indo para o Alaska, todos se animaram muito e ficaram curiosos para conhecer. Bem, eu também estava. O Alaska para ser um lugar tão misterioso e longínquo…e claro, para mim era mesmo o lugar mais ao norte em que já estive.

Bem, acho que devemos ser pessoas honestas desde o princípio, né? Por isso, já vou avisando que não vi aurora boreal (não que não quisesse) porque não era época….então se você veio procurando um post sobre isso, esse não é pra você. Mas o blog tá cheio de posts bacanas. 😉

Agora, se você quer conhecer o “Alaska profundo” que ninguém conta, bem-vindo(a)! Pegue seu salmão defumado e bora saber dessa pequena aventura, afinal o Alaska foi nossa última cidade na América.

Anchorage, a cidade rodovia

Como de costume, aluguei um Airbnb. Uma casa super bacana, cuja anfitriã era mais bacana ainda! Ela era da Jamaica, mas é criada nos EUA. Certo dia, ela trouxe um bolo tipicamente jamaicano que a sogra fez pra gente. Tava mó bom! <3

Bem, a casa era numa parte afastada do Centro, mas no anúncio dizia que tinha duas bicicletas para uso dos hóspedes e pensei: Opa, perfeito!

Mas a questão é que Anchorage é uma grande estrada…

A casa ficava num condomínio/quarteirão pra dentro da estrada com ruas pequenas, mas era só virar a esquina e pimba: uma baita highway com os carros passando a milhão! Desisti de andar de bicicleta por lá porque minhas habilidades não são muito boas e não me garanto…rs

Para fazer comprar no mercado eu precisava andar uns 2km. Apesar de tudo ser uma grande estrada, tinha calçada e uma parte pequena do caminho desviava da estrada por dentro de uma mata. Então, lá ia eu andando calmamente até o supermercado e voltando carregada de sacolas torcendo pra alguém oferecer uma carona….hahaha

Parque em Anchorage
Parte do caminho para o supermercado

A dona do Airbnb disse que se por acaso a gente visse um Alce na rua, a gente devia fugir. Principalmente se fosse filhote, pois isso significa que a mãe está por perto e vai defender a cria.

Estávamos hospedados perto de um parque, e por isso – segundo a dona do Airbnb – era normal ver Alces atravessando a estrada. Fiquei mega animada de ver algum….não vi! =(

Anchorage sem carro?

Bem, nem eu nem Edu nos animamos de pegar bicicleta e explorar a cidade. Existe um serviço de ônibus na cidade, mas ele tem horário marcadinho. Nos pontos de ônibus tem a escala de horário de cada linha.

Não é a coisa mais prática do mundo não. Então, nos dias em que conseguimos sair para explorar Anchorage, a gente fazia tudo a pé mesmo.

Mas você já imagina o drama….hahaha Na verdade, eu e Edu gostamos muito de andar. É o melhor jeito de ir conhecendo melhor os lugares, mas, pra andar de onde a gente estava até o centro da cidade…GZUS! hahaha

A gente não arregou não. Foi assim mesmo. Passamos pelo parque que tinha próximo de onde estávamos, bem simpático. Aí, no meio das árvores tinham algumas placas avisando qual o procedimento certo no caso de topar com um alce. (rs)

Placa de segurança em Anchorage
Cuidado com o Alce!!!

Pô…eu queria tanto ver um alce!! Pena que não de sorte. Ou azar, no caso, porque parece que a coisa é treta forte.

Enfim, locomover-se por Anchorage sem carro não é para os fracos. Sorte que não estava quente lá. Chegamos por lá no verão então era tranquilo. Acho que o máximo de frio era 12º C. Claro, choveu alguns dias e ver o sol era quase um milagre. Não consigo imaginar viver por lá no inverno extremo, deve ser super deprê.

Afinal, o que tem pra fazer em Anchorage?

Pois bem, nada! hahaha Na verdade, há duas coisas: ver aurora boreal e caçar. Não era época de aurora boreal e caçar é algo que nunca faria. Logo, a cidade, pra mim, foi apenas um local de passagem e parada.

É literalmente o lugar onde o vento faz a curva. Duvida? Dá uma olhada nesse mapa que você vai ver até a velocidade do vento…(rs)

Eu peguei uma revista num restaurante – um fast food, claro – com algumas coisas para fazer pela cidade. Olha, nada animador.

Nós fomos andando até o centro – através das milhares de rodovias e sem cruzar com uma alma viva nas calçadas – e por lá existem umas lojinhas, cafés, tudo bem com cara daqueles estereótipos de filmes americanos, sabe? Quando a mocinha perde tudo e precisa voltar pra uma cidade nos cafundós dos judas e aí tem o comércio local na cidade….é bem isso.

Centro de Anchorage
Centro de Anchorage

Passeamos por um lago que tinha perto do Centro e nessa parte da cidade tem mais pessoas andando pela rua. Na volta a gente arregou mesmo e pegou um táxi. (rs)

Lamento ser a portadora de más notícias, mas Anchorage é um tédio sem fim! Ainda mais quando você sai pra rua e o céu é um branco indefinido com uma chuva fina que não passa nunca. (rs)

Sem contar a pior parte do verão que é o sol se pôr lá pras 23h….e depois amanhecer bem cedo, umas 5h. Isso embabanou nosso sono de uma forma surreal. No inverno é pior a situação, pois só tem quatro horas de luz do sol por dia! Não imagino como deve ser. Fizeram aé tuém filme pegando essa questão como pano de fundo de um suspense policial com o Al Pacino.

Mas, como eu disse, Anchorage era uma cidade de passagem para nós, por isso nem me apeguei muito. Apesar de não ter muito o que fazer, adorei conhecer a anfitriã do Airbnb em que ficamos. Gente boníssima! =)

Bem, acho que é isso. Um post curto para uma cidade que não deixou grandes marcas na saudade da gente. Acho que o mais impressionante em Anchorage é ver a imensidão da cidade. Como é tudo plano, você vê a rodovia se estendendo ao longe e as paralelas se cruzando lá no infinito…daí você lembra que está indo lá pro infinito e a beleza desse momento de contemplação se perde… hahaha

Agora, a coisa começa a ficar beeem interessante. Do Alaska pegamos um avião sobre o Estreito de Bering para….a Sibéria!!!! \o/

Próxima parada: Petropavlovsk-Kamchatsky.

Quando minha vida saiu dos trilhos percebi que podia ir pra qualquer lugar. Virei mochileira depois dos 30 e criei o blog pra contar sobre essa aventura.

1 Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.