El Salvador

El Tunco: praia do Pacífico em El Salvador

Conhecendo um pedaço de El Salvador: El Tunco

Quando estávamos em León, nossa ideia era ir direto para Honduras e nem passar por El Salvador. Mas ninguém estava fazendo viagem direto, todos estavam evitando San Pedro Sula por conta da violência.

Então, o que estavam todos fazendo era ir até El Salvador e de lá para Honduras. Uma baita volta! Como não tínhamos muita opção, foi o que fizemos.

Pra você ter uma ideia melhor do que seria esse caminho:

Na verdade o shuttle saiu de León, entrou e saiu de Honduras, e entrou em El Salvador. E como passaríamos obrigatoriamente por lá, resolvemos ficar alguns dias e conhecer.

E assim conhecemos El Tunco, uma praia em El Salvador muito visitada pelos surfistas.

Onde ficar em El Tunco

Fechei um hotel-meio-resort que não estava caro e pelo mapa, não parecia muito longe. Ledo engano…era longe, longe pacas…hahaha

O quarto era confortável e tinha café de manhã incluído. Quem tiver curiosidade, o hotel chama Atami.

É um lugar agradável. Tinha uma piscina central, um restaurante com vista pro mar e dava acesso a duas praias praticamente privadas. Além disso, existiam duas piscinas com água do mar que ficavam assim, bem do lado da praia:

Piscina natural com o mar ao fundo

Além disso, espalhadas por todo o hotel existem diversas redes e mesas. Teve um dia que morgamos em uma dessas redes depois do almoço…rs

Pra descansar depois do almoço….

Dava pra ir andando de uma praia pra outra por dentro do resort mesmo, margeando o mar. Incrível!

As praias estavam vazias, até porque ficamos pro lá em dia de semana. Então, em uam tarde dei um mergulho em uma das praias enquanto o Edu descansava em uma das redes e degustava uma das cervejas locais. A água é fria, como toda praia do Pacífico deve ser, mas estava bem boa. =)

No geral o hotel-resort era ótimo, só que….ficava longe de tudo.

A configuração de El Tunco e como tudo funciona

Quando chegamos em El Tunco, paramos no centro da cidade. Lá existem diversos hotéis, restaurantes, hostel e tudo mais. Daí, tentamos descobrir como faríamos pra chegar ao nosso hotel…e descobrimos que ele estava há 8 Km do centro. Pois é.

Acabou que o cara do shuttle foi gente fina e nos deu carona até lá. Mas, em outro dia precisávamos sacar dinheiro. Fomos andando a pé. Da saída do hotel até a estrada são 1 Km. De novo, tivemos sorte e um senhor nos deu carona até o centro.

No centro nenhum dos caixas eletrônicos estava funcionando. Todos diziam que aceitavam MastarCard, mas funcionar mesmo…necas. Outros rapazes tentaram com Visa e nada.

A solução era ir até o único caixa do BAC que tinha num pequeno shopping bem mais pra lá do Centro. Um pequeno adendo: BAC (Banco da América Central) é amor!! Tem por toda Centro América e a taxa de saque é baixa. <3

Voltando ao nosso tormento: seguimos pra estrada, conseguimos um ônibus e por fim chegamos ao tal mercado-mini-shopping-center. Conseguimos sacar dinheiro e aproveitamos pra comprar uns belisquetes, já que o hotel é longe de tudo e não queríamos jantar por lá todos os dias.

A volta foi dividida em dois ônibus e uma parte a pé. No fim, deu tudo certo, mas lá é um local pra quem quer se isolar mesmo. Quem quer ficar no agito deve procurar algum hotel-pousada-hostel na parte do Centro.

No fim, pra nós, El Tunco era mais um ponto de parada. Se fizéssemos a viagem inteira de shuttle até Copán seriam mais de 12 horas. E viajar nesses shuttles é extremamente desconfortável, ainda mais pra quem tem a perna tão comprida quanto a nossa.

Mas do pouco que conhecemos, achei a praia bem bacana. Só é pena que ficamos longe do centro. A vantagem é que deu pra descansar bem.

 Próxima parada : Copán Ruinas. Enfim, Honduras. \o/

Classificação

5 média baseada em 1 ratings

  • Excelente
    1
  • Muito Bom
    0
  • Médio
    0
  • Fraco
    0
  • Péssimo
    0

Margot

Quando minha vida saiu dos trilhos percebi que podia ir pra qualquer lugar. Virei mochileira depois dos 30 e criei o blog pra contar sobre essa aventura.

LEAVE A COMMENT

Diva De Mochila

No Diva de Mochila você acompanha a viagem de volta ao mundo de uma carioca-paulista que virou mochileira depois dos 30. Bem-vindo (a) ao blog!

No instagram

%d blogueiros gostam disto: