De diva pra diva

Sangue, suor e coletor. Viajar com liberdade (Parte II)

Classificação

5 média baseada em 1 ratings

  • Excelente
    1
  • Muito Bom
    0
  • Médio
    0
  • Fraco
    0
  • Péssimo
    0

Sangue, suor e coletor:
Viajar com liberdade (Parte II).

Ih, tossi....
Aquele sensação de quando você tosse e XABLAU…

Você deve ter notado que esse post é a parte II, né? Se perdeu a parte I, só acessar aqui.

Bem…quando pensava na viagem uma coisa me intrigava: “E quando eu estiver menstruada? Vou ficar carregando um monte de absorvente…e se os banheiros no meio do caminho foram daquele jeito bunitu….terei também que levar papel pra poder descartar o absorvente? Que saco!

Então comecei a pensar nas minhas alternativas. Eu já havia largado o absorvente externo há anos e só usava o interno. Nessa minha onda de pesquisar e sair lendo tudo…acabei topando com vários artigos falando sobre como o absorvente interno pode ser prejudicial por absorver não só o sangue, mas as bactérias naturais do canal vaginal, como o algodão com que é produzido tem produtos tóxicos que podem causar problemas (e existem casos de mulheres que tiveram choque tóxico por causa de absorvente interno). Enfim, mil tretas.

Alguns anos antes eu tinha escutado falar sobre o tal coletor menstrual. Na época achei nojento e nem dei muita bola….“Como assim, enfiar um copo e tirar o sangue…que nojo!”. Mas essa é a Margot de anos atrás que ainda não sabia de algumas coisas e tinha certos preconceitos. Não lembro exatamente como, mas topei com algum blog falando do coletor e resolvi dar uma atenção pra ele. =)

Ah, ok. O quê?
Ah, ok. Mas o que é coletor?

Ele é basicamente um copinho de silicone medicinal que você introduz na vagina, ele pega vácuo e fica lá coletando o sangue. Daí você tira de tantas em tantas horas (pode ser até 12h, vai depender do fluxo de cada uma), lava e recoloca.

Coletor é amor.
Tem para todos os gostos e tamanhos! \o/

Antes e após o uso  (da menstruação, não todas as vezes que tira e põe) é preciso ferver o copinho para esterilizar. Muitas meninas usam panela esmaltada, que não solta resíduos. Eu tenho me virado bem usando os microondas dos lugares de onde fico e um saco para cozimento que me salva de boas.

Eu resolvi comprar o meu e testar. No primeiro ciclo foi só amor, não vazava sangue nenhum, eu trocava a cada 8h….mas como eu tinha cortado o hormônio, minha menstruação ficou mais abundante no segundo ciclo…rs

Contarei agora um causo REAL!!! Mas não se preocupe que ninguém foi ferido nas filmagens…rs

Estava eu toda serelepe no meu segundo ciclo com o coletor, me sentindo confiante, segura…e saí de vestido (“à vontade” se é que você me entende) com o coletor. Nesse dia eu e Edu saímos pra dar uma volta e paramos pra ver uns livros na Cultura do Conjunto Nacional, em São Paulo. Estou eu lá folheando uns livros de arte quando de repente…XABLAAAAU:

Corre que lá veeeeem....
Corre que lá veeeeem….

Pois é, acho que estava tão confiante que achei que tinha colocado certinho, mas aí…me lasquei. Desceu (mas desceu mesmo…desceu até quase o joelho) um pequeno rio e lá fui eu correndo pro banheiro e foi uns bons 30 minutos pra recolocar com a confiança de que eu poderia voltar pra casa sem vazar de novo. Edu não deve ter entendido nada…acho que agora ele entende…(Oi, cheri!)…rs

Depois desse incidente e alguns bem menores, ciclos depois, eu percebi que o coletor que eu tinha comprado não estava mais servindo tão bem pros dias de maior fluxo e quaaaase desisti. Fiquei puta com o coletor algumas vezes e quase deixo ele queimar na panela enquanto esterilizada só pra vê-lo sofrer como eu sofri…rs

Só que eu sou teimosa e resolvi pesquisar um pouco mais. Acabei comprando um maior que hoje em dia me atende super bem e tô só amor com ele de novo. E o mais legal, comprei numa farmácia…no Nordeste. <3

Sabe aquelas propagandas de absorvente que diz que você pode fazer de tudo quando está menstruada? Sabemos que essas propagandas não espelham muito bem a realidade. Com o coletor sim! Eu faço tudo com ele…meus exercícios, vou à praia, durmo “à vontade”, não me preocupo com os períodos de viagem na estrada… e vejo meninas contando que fazem esportes radicais (radicais meeeeesmo), pole dance, natação, equitação etc…tudo com o coletor e sem vazar.

Essa semana uma propaganda de absorvente (americana) virou destaque nas redes mostrando que sangue nenhum deve parar as mulheres. É ótima e foge dos padrões desse tipo de anúncio, mas seria perfeita se no final aparecesse a marca de um coletor menstrual…rs

Aqui a propaganda:

Com o coletor descobri duas coisas:

  1. O sangue não tem cheiro ruim, aquele cheiro que caracteriza a menstruação é porque o sangue fica parado no absorvente, entra em contato com o ar e começa a apodrecer.
  2. Toda a cachoeira que você achava que expelia todo mês não é tanto sangue assim. Mesmo com o meu fluxo tendo aumentado, ele não chega a encher o copinho a cada 8h (que tem 20ml).

Outro lado positivo é a economia (que pra mim é sempre um ponto a favor): um coletor custa por volta de R$70 e  dura cerca de 3 anos. Em um ano uma mulher gasta em média R$900 em absorventes!!! Gente, R$900
p-o-r  a-n-o  podendo ser economizados pra uma viagem, prum curso, aquela festa de aniversário que você sempre quis dar…pro que você quiser. =)

Tem vários modelos de coletor, vários tamanhos (varia se você tem menos de 30, se já teve filho etc)…então é muito importante você se informar antes pra ver qual seria o melhor pra você. A altura do colo do útero interfere, o seu fluxo interfere, a sua força pélvica interfere… Mas vale a pena de verdade.

Depois de um tempo você se acostuma a tirar e esvaziar de boas. Eu já cheguei a esvaziá-lo num banheiro de beira de estrada…e foi tranquilo. Tirei, lavei na pia, entrei de novo na cabine e recoloquei. Mesmo sendo estranho no começo e dar uma sensação de “nojinho” nas primeiras vezes que você tira o coletor, depois é tranquilo…é só sangue. Hoje em dia acabo tirando no banho mesmo que é mais prático.

Às vezes eu me sinto até uma Testemunha de Jeóva 2.0:

Olá...
“Com licença, você tem um minuto para ouvir a palavra do Coletor?”

Outra coisa que é bacana para não desistir do coletor logo de cara, é “estudar” as dobras que existem para inserir corretamente. Tem a diamante, a punch down e várias outras. Eu já testei todas e hoje tenho as que sei que servem melhor pra mim. Aqui alguns exemplos delas:

Existem também coletores mais moles, outros mais duros…existem uns esportivos, feitos para quem pratica esportes pesados e precisa de um coletor mais “resistente”. Enfim…é uma infinidade de opções. Aqui no Brasil ainda não é tão fácil comprar um. O primeiro que comprei foi da Holly Cup, pela internet e paguei com boleto. O segundo foi o que achei na farmácia. No Facebook existe um grupo bacana que discute sobre o coletor, tira dúvidas….que ajuda quem está querendo começar a usar e quem já usa e que indica marcas e como/onde comprar.

Hoje em dia não me vejo mais usando absorventes no futuro…rs

Bem, algo precisa ser dito: não dá pra transar usando o coletor, maaaaas dá pra fazer outras coisas sem se preocupar com lambança, se é que você me entende… 😉 Se bem que a Prudence já pensou nisso e criou um coletor descartável pra ser usado quando você quiser transar menstruada. Ele lembra bastante um diafragma e cobre a entrada do colo da mesma forma, só que ele tem “espaço” para armazenar o sangue. Jamais tente usar o diafragma como coletor que dá ruim.

Queria muito testar esse descartável, mas ainda não achei pra vender em nenhuma farmácia que passei… =(

Existe também um absorvente de pano que algumas meninas têm usado tentando seguir uma forma ainda mais “natural” de vida. Acho bacana, mas pra viagem seria inviável.

Espero que esse post tenha ajudado a quem está na dúvida ou ainda não conhece bem o coletor. Hoje é só amor na minha vida, mas tive sim meus momentos de perrengue com ele. Passa! Se você se comprometer, depois da fase perrengue (algumas meninas nem passam por ela porque se adaptam logo de cara) é liberdade total. É uma outra forma bacana de se conhecer e saber como seu corpo funciona. =)

Quem quiser conversar mais sobre o coletor, já sabe que minha inbox, meu email e a caixa de comentários aqui embaixo estão sempre abertos. 😉

Na sexta, dia 10, sai o último post da série “Só” para mulheres. Não vou falar da parte tão “prática” como foi o diafragma e o coletor. Será mais pra contar de abordagens e assédios nas diferentes partes do Brasil que passei até agora. Vejo você na sexta? Diz que sim, diz que sim, siiiiiiiiim….rs


Links interessantes:

Grupo do Facebook sobre coletores menstruais.
Que coletor usar? Comparação de diferentes coletores menstruais.
Como usar o coletor? Passo a passo e dicas para higienizar.

Margot

Quando minha vida saiu dos trilhos percebi que podia ir pra qualquer lugar. Virei mochileira depois dos 30 e criei o blog pra contar sobre essa aventura.

Você visitou recentemente ...

Pernas femininas para fora do carro

Como se depilar de forma prática? Sobre depilação na estrada

Poder pras minas

Assédio e tratamento na estrada. Viajar com liberdade (Parte III)

Ah, a liberdade....

Viajar com liberdade: “Só” para mulheres (Parte I)

02 Comments

  1. Yriz Soares

    Entãaaao… tô na fase natureba também Margot e acho que essa é uma grande fronteira. Fico pensando “mas comigo á diferente, é mais difícil pq bla bla bla” Ainda não comecei a me dedicar na busca, mas teu post me animou bastante! Ahazou mais uma vez! #xônojinho #sónadivatem

    7 de julho de 2016 Responder
    • Margareth Furtado

      Ah, eu também ficava nessa. Dia desses o Facebook me lembrou de um post antigo e era sobre coletor (isso uns 4 anos atrás)…e eu tinha postado falando justamente de que devia ser nojento…hahahaha
      Bom que é sempre tempo da gente rever os conceitos. No começo é meio estranho, a primeira vez que coloquei foi um parto pra tirar, mas depois ddo segundo ciclo, já tava descolada e não me vejo voltando a usar absorvente nunca mais. rs
      #SeJoga e qualquer coisa, tamos aí pra ajudar. <3

      7 de julho de 2016 Responder

LEAVE A COMMENT

DivaDeMochila

No Diva de Mochila você acompanha a viagem de volta ao mundo de uma carioca-paulista que virou mochileira depois dos 30. Bem-vindo (a) ao blog!

%d blogueiros gostam disto: