Medellín, a cidade favorita dos colombianos.
Colômbia Gastronomia

Medellín, a cidade favorita dos colombianos.

Classificação

5 média baseada em 3 ratings

  • Excelente
    3
  • Muito Bom
    0
  • Médio
    0
  • Fraco
    0
  • Péssimo
    0

Medellín, a segunda maior cidade da Colômbia

Medellín é a menina dos olhos dos colombianos. Pelo menos foi o que eu percebi. Todos com quem conversava por lá me perguntava se eu tinha gostado de Medellín. rs

Essa é a segunda maior cidade do país. A primeira é Bogotá e a terceira é Cali. A cidade tem mais de dois milhões de habitantes e fica na província de Antioquia. Medellín é uma cidade industrial e algumas vezes me fez até lembrar de São Paulo.

Bem, depois de nos despedirmos de Cali também seria difícil outra cidade me encantar tanto quanto ela.

Em termos de segurança, eu me senti tão segura em Medellín quanto em Cali. Felizmente não rolou nenhum assalto por lá, mas o Edu perdeu um celular num táxi…rs

Bem, vamos ao que interessa, né?

Onde se hospedar em Medellín

Mais uma vez, optei por um Airbnb. Consegui achar uma cobertura bem bacana no bairro La America. Quando vi as fotos (e o preço) no Airbnb eu sabia que tinha achado o lugar certo.

Minhas buscas sobre o bairro não me mostraram nada de preocupante. No geral, não achei relatos de violência ou insegurança na cidade.

Vista do terraço do Airbnb em Medellín
Vista do terraço do Airbnb em Medellín

Esse apartamento onde ficamos tinha um terraço aberto com uma vista super bacana da cidade.

Conseguíamos até ver os aviões inde e vindo de um dos aeroportos da cidade.

O bairro é mais afastado do agito e tem um clima bem de subúrbio, que eu adoro. Tem uma praça central com uma igreja, alguns açougues, padarias…bem aquele clima tranquilo de pessoas sentadas na porta de casa.

Como eu já tinha comentado no post de Leticia, a organização urbana na Colômbia é diferente. Eles não têm nomes de ruas, é tudo numerado. Pelo menos na parte central das cidades.  E é muito simples, é praticamente impossível de se perder.

Nesse bairro era um pouco confuso. Existem as Calles e as Carreras. Alguns me disseram que as Calles iam de leste a oeste e as Carreras de norte a sul…outros falavam ao contrário…hahaha

Mas é simples, se você está na esquina da Calle 50 com a Carrera 32 e precisa ir pra Calle 54 é só seguir contando as ruas e pronto! No máximo você vai andar uma quadra errada, chegar na Calle 49 e ver que tem que ir pro outro lado. Simples! Simplérrimo! Mas o número das casas é que confunde um pouco.

Por exemplo, o apartamento em que estávamos era na Calle 89 com Carrera 45. O prédio ficava na Calle, mas o número que ia no prédio era da Carrera…hahaha Isso eu não consegui entender, me esforcei, perguntei…e não entendi. Achei que era marcando a carrera mais próxima, mas em alguns lugares não era.

Enfim. Todo essa história é pra dizer que, pegue certinho o endereço pra quando você chegar em qualquer cidade da Colômbia! rs Mas nada que seja impossível, nas primeiras vezes você se confunde, depois é tranquilo.

Bem, eu cozinhei nesse Airbnb e consegui achar um mercado um pouco mais afastado de onde estávamos. Mas aí fiz uma compra maior e deu tudo certo. Eu gostei bastante do bairro. E quando quisemos sair de lá não foi difícil, tem até metrô! =)

Um belo dia estávamos em casa no fim do dia, de boas na cama jogando papo pro ar antes de eu me animar de ir cozinhar e de repente….senti um balanço, daí olhei pro lustre do teto e ele estava mexendo. Edu levantou rápido, foi pra debaixo do batente da porta e aí quando eu tava indo pro outro batente…parou!

Sim, era um terremoto. E foi o primeiro que passei na vida. Acho que Edu ficou com mais medo do que eu, mas é que até eu entender que de fato tinha sido um terremoto, já tinha passado. Depois vi no jornal que o epicentro tinha sido a 140 Km de lá. E foi forte, coisa de 6 na escala.

Altas emoções na Colômbia, né? rs

O que fazer em Medellín

Devo confessar que não explorei muito da cidade. Acabei ficando muito no bairro onde estávamos, tava tão gostoso por lá que não dava vontade de sair.

Mas passeamos alguns dias. Vi um anúncio de uma feira de arte que teria em Medellín e lá fomos nós. Arte é comigo mesmo.

A feira aconteceu na Plaza Mayor, um espaço que fica no centro de Medellín e tem vários espaços de eventos, empresas e tudo mais. No fim a feira era bem comercial, como a SP Arte, sabe? Mas tinha algumas coisas bacanas pra ver. Fotografie os meus favoritos e tá lá embaixo na galeria. Mas de tudo, nada foi muito marcante.

Pesquisei também onde podíamos tomar uns bons drinques. E descobri essa praça no bairro El Poblado que é toda cheia de bares. O bairro em si é bem boêmio, com muitos restaurantes, bares…até pensei que ficar hospedado lá deve ser bacana.

Nós chegamos a ir pros lados de lá mais de um dia. Uma vez a tarde e depois voltamos outro dia a noite. Qualquer um dos lugares por lá é uma boa pedida e tudo é bem parecido, então pode se jogar.

Como estávamos em Medellín, tentamos achar uma bandeja paisa. Paisa é o gentílico de Medellín, ou seja, quem nasce por lá se chama paisa. Achamos? Não! Fiquei indginada. rs

O que nós achamos como prato típico e degustamos num restaurante homônimo era o Mondongo. Mondongo é basicamente uma bandeja paisa turbinada. Mas assim, turbinada mesmo. Além do tamanho ser bem maior ainda vem com arepas. rs

Vale experimentar. Mas se prepare que depois de comer vai bater a maior leseira da sua vida! hahaha Daí estávamos lá de noite, circulando pelo bairro (El Poblado) e passamos por um lugar coberto de néon do teto ao chão. E com uma TVs enormes passando uma músicas antigas (com clipes) estilo Sidney Magal…olhei pro Edu, ele olhou pra mim e pronto: resolvemos tomar uma cerveja lá.

Impagável! Só clássicos. rs As mulheres que estavam por lá (mais velhas) cantavam todas as músicas na maior empolgação. Teve uma hora que virou karaokê e o cara do bar veio trazer o microfone pra mim…hahaha

Mas o que me marcou nesse bar, foi essa INCRÍVEL descoberta. Por favor, preste atenção na letra, nas coreografias, nas roupas, no cabelo:

E a ironia é que a cantora é italiana. rs A minha cunhada, que viveu muitos anos em Buenos Aires disse que por lá essa mulher era SUCESSO! rs Eu amei e não tiro essa música da cabeça até hoje, inclusive enquanto fazia esse post foi só no repeat..rs

E é com esse grande ensinamento musical que encerro o post. Medellín foi inusitada, com grande emoções e boa comida. Mas não caí de amore não. Confesso…rs

E não se esqueçam “para hacer bien en el amor hay que venir al sur”… rs

Próxima parada: Cartagena.

Cidade histórica

Hotel

Gastronomia

Dicas

Margot

Quando minha vida saiu dos trilhos percebi que podia ir pra qualquer lugar. Virei mochileira depois dos 30 e criei o blog pra contar sobre essa aventura.

Você visitou recentemente ...

Prédio da Catedral no Centro Histórico de Bogotá

Bogotá e as surpresas que a cidade dá

Visão panorâmica de Barranquilla

Barranquilla, a cidade da Shakira.

Esculturas nas ruas do Centro Histórico de Cartagena

Cartagena: o charme e as desventuras da cidade colombiana.

Casa de esquina em San Antonio

Cali, a cidade mais legal da Colômbia! E a menos visitada…

Santuário de Las Lajas na Colômbia

O Santuário de Las Lajas em Ipiales

03 Comments

  1. Yriz Soares

    “para hacer bien en el amor hay que venir al sur” chorando de rir!!! Ai Medellin sua coisa linda cheia de emoções!!

    8 de fevereiro de 2017 Responder
    • Margareth Furtado

      hahaha E essa era só uma. Tinha uns caras estilo “Sidney Magal” que eram ótimos….mas a letra boas mesmo é da loira! #GirlPower

      8 de fevereiro de 2017 Responder
      • Yriz Soares

        Magal colombiano?!?! Não tem como dar errado! Só alegria kkkkkk #tudobemgirlpower #masmagalémagal

        8 de fevereiro de 2017 Responder

LEAVE A COMMENT

DivaDeMochila

No Diva de Mochila você acompanha a viagem de volta ao mundo de uma carioca-paulista que virou mochileira depois dos 30. Bem-vindo (a) ao blog!

%d blogueiros gostam disto: