Salvador, por que me trata assim?
Brasil Praia

Salvador, por que me trata assim?

Salvador, mal te conheço e não te considero muito não…

Eu sempre tive vontade de conhecer Salvador, achava que o clima, as cores e o povo pareciam tão convidadtivos. Bem, foi a primeira decepção de fato que tive até agora na viagem. Nem passamos perrengues, foi só uma sucessão de azares e mau-agouros que caiu sobre mim…rs

Saímos de Itacaré e chegamos de balsa por Itaparica. O passeio é bacana e dura 1h mais ou menos. O vento batendo, a cidade se aproximando…até aí estava tudo ok. Mas conforme a balsa se aproximava, Salvador já causou uma certa estranheza…as construções pareciam meio amontoadas, e a parte onde se desembarca da balsa é bem feia. Não tão feia quanto a saída da Rovodiária Novo Rio, mas feia.

Mas até aí tudo bem, era só uma primeira impressão e não sou muito de acreditar que “a primeira impressão é a que fica”, mas depois decobri que (nesse caso) não é bem assim.

Bem, chegamos no apartamento na Amaralina, uma cobertura bacana e barata (ahá, se algo é muito bom pra ser verdade, provavelmente é..).

A praia de Amaralina é bem simpática e o apartamento era bem de frente pra ela, pra dormir era só abrir tuuuudo e deixar o vento do mar entrar. Isso era maravilhoso.

Mas, o apê não era muito bem o que o dono vendia pelo AirBnb. Chegando lá a primeira coisa que desanimou: o prédio estava em obra, daquelas que se vê que começou ano passado e vai terminar depois de uns 3 mandatos…saca? Mas ok, você pode me chamar de exigente…rs A questão é que o prédio tava todo quebrado, parecendo um xiqueiro.

O apartemento, espaçoso, era meio largado, com móveis que claramente o dono trouxe de lugares que não queriam mais, no limite entre o rústico e o “não sei onde largar essas tralhas”. A cozinha também não era grandes coisas…mas enfim, tava barato e no fim o que se pagava era a vista e localização.

Ó aí a danada:

Oi, Salvador! #Bahia #Salvador #rolezinpelomundo #DivaDeMochila #praia #beach

A photo posted by Margareth Vasconcellos (@margotchic) on

Tinha um mercado relativamente perto que funcionou muito bem. Só que estava muito sol, então era um pouco cansativo ir e vir. Para lavar as roupas usei uma lavanderia na rua de trás. A máquina de lavar que o anúncio dizia ter, não estava lá. Enfim.

Saímos de lá e fomos a pé até o Farol da Barra, como eu disse, gostamos de andar. Para ir pro Pelourinho, pegamos um ônibus bem perto do apartamento. Então, a localização era bem boa.

Mas, apesar de toda a beleza da cidade, o azar não nos largou.

Zica atrás de zica, assim foi nossa estadia

Como hábito da viagem, lá fui eu ao mercado pra comprar as coisas pro jantar e quando entro de volta no prédio (já a noite) um rato passa bem do lado do meu pé…culpa da obra, mas que vamú combiná, daria pra evitar…rs

No dia seguinte, quando acesso o Wi-Fi do apartamento pelo meu celular, pego um vírus que destruiu o aparelho (tentei hoje mais um passo pra resolver e deram o atestado de óbito)…aí que se fo*a tudo e lá vamos nós pra praia. Aquela praia bonita, sem muita gente, com uma somba pra sentar….vou pro mar dar um thcibum e BANG, rasgo o joelho nas pedras que não sabia que existiam na praia…hahaha

Foi uma zica atrás da outra. Mas, acontece. Eu deveria ter me informado melhor sobre a praia, né?

Fomos ao Pelourinho e lá foi bem bacana. O clima estava bom, sentamos num lugar e tomamos um suco de Umbu que G-Zuis! É A fruta…é coisa linda de Deus. Valeu por toda zica alcançada (qué dizê…quase).

Emoldurada
Ordem terceira de São Francisco de Assis

Então, como o Edu precisava ficar mais uns dias pra entregar uns trabalhos, saímos do apê de Amaralina e seguimos pra outro lugar, em Pituaçu. Apê bem bacana, mas como já esperado pelos comentários, numa região mais pobre. O que é bizarro, porque não é nem a 20 mins de Amaralina e é outra pegada, outra realidade por assim dizer. Mas estava me sentindo melhor em Pituaçu que em Amaralina.

Aí, numa manhã ensolarada lá vou eu feliz e marota tentar uma última cartada pra salvar o celular e como o dia está quente (quente não, tá um maçarico mesmo) saio de short e uma blusa leve (e mesmo assim começo a pingar depois de 30 segs na rua).

Quando estou voltando pra casa, já na rua do apartamento um cara com um daqueles carros típicos de quem precisa compensar um probleminha da natureza (se é que você me entende) me chama, eu (quem conhece sabe) sou de boas, não vejo maldade até segunda ordem….achei que o cara queria pedir informação. Aí segue o diálogo que tento transcrever aqui com a maior exatidão possível (tô lendo muita história de detetive esses dias…rs):

_ Ei, moça. Por favor…
_ Pois não?
_ Pra onde você está indo?
_ Desculpe, não entendi.
_ Você está indo pra onde, quer carona? Posso te dar uma carona?
_ Não, obrigada. Estou bem a pé.
_ Mas deixa eu te dar uma carona, quero te conhecer.
_ Cara (quando eu tô puta eu falo C-A-R-A), eu sou casada.
_ Se você é casada, por que está com essa blusa? Só pra instigar a gente?
_ …
_ Eu também sou casado, aqui ó (e mostra a aliança)!
_ Que bom pra você.
Ele segue um pouco e pára de novo.
_ Sério, me dá seu contato, eu me apaixonei por você nessa blusa.
_ Não, obrigada. Até mais.
Atravesso a rua, vou andando devagar pro cara não ver onde vou entrar e parece que ele desiste e vai embora.  

Fim da narrativa.

E assim….fica difícil cair de amores por Salvador!! Só zica, só situação estranha…enfim. Ainda não acabou a saga, vamos embora na quinta depois de amanhã e pode ser que eu ainda tenha mais coisas pra contar (tomara que boas…rs).

Mas nem tudo foi mal, os taxistas, por exemplo, todos gente boa. Não tenho do que reclamar. E também conhecemos um restaurante em Itapuã que foi ótimo. Com ambiente bacana, comida boa e drinks suaves! =)

A cidade é bonita e tem muito a ser aproveitada, talvez se tivéssemos ficado em um hotel a experiência teria sido outra.

Mesmo assim, tem bastante coisa para visitar que gostei de ter feito: Elevador Lacerda, o Mercado Modelo (jantamos lá um dia depois de uma longa caminhada), o Farol da Barra, a Igreja do Bonfim…a cidade é bonita, mas parece que nosso santo não bateu muito. Uma pena.

Talvez eu tenha ido com muita expectativa pra lá… Mas, é uma cidade fotogênica e muito colorida. <3

Deseje-me sorte nos próximos dias (por favor…rs). Ah, e quem estiver com meu boneco de voodoo, faz uma massagem nas costas dele por obséquio. 😉

Próxima parada: CANUDOS!

Classificação

0 média baseada em 0 ratings

  • Excelente
    0
  • Muito Bom
    0
  • Médio
    0
  • Fraco
    0
  • Péssimo
    0

Margot

Quando minha vida saiu dos trilhos percebi que podia ir pra qualquer lugar. Virei mochileira depois dos 30 e criei o blog pra contar sobre essa aventura.

LEAVE A COMMENT

Diva De Mochila

No Diva de Mochila você acompanha a viagem de volta ao mundo de uma carioca-paulista que virou mochileira depois dos 30. Bem-vindo (a) ao blog!

No instagram

%d blogueiros gostam disto: