Canudos é feita de História e histórias.
Brasil Cidade histórica

Canudos é feita de História e histórias.

Canudos é feita de História e histórias.

Canudos está para o Edu assim como Inhotim estava pra mim. Era um lugar que tinha que conhecer.
Não que eu não tivesse curiosidade (e tinha), mas ele tava falando de Canudos desde Agosto do ano passado.. =)

E lá fomos nós! Canudos é uma cidade pobre, com um centro que tem uma via de mão dupla forçada nas duas pistas, o típico cenário do que chamamos no Rio de “terra de Marlboro”. Ficamos num dos dois hotéis que tinham na cidade e era muito de boa o espaço. A economia da cidade é mais forte na parte da banana, pelo que o Nenéim (o gerente do hotel de 28 anos, 1 filha e que já viajou por anos com uma banda de forró trabalhando na luminotécnica) nos disse.

São de 3 a 4 caminhões por dia que saem da cidade. O turismo é quase inesxistente e o hotel em que ficamos é praticamente ocupado por representantes de vendas e tem uma parceria com a prefeitura. Ou seja, a cidade têm uma baita história e apesar do Parque estar lá conservado, ninguem vai. Acho que em grande parte por falta de propaganda mesmo e por falta de estrutura da cidade.

Pra chegarmos lá saímos de Salvador até Feira de Santana e então pegamos um ônibus até Canudos. Foram umas 6h de viagem, não é uma ida difícil, mas também não é super prático.

Ficamos 2 noites lá, chegamos em uma e descansamos. No dia seguinte fizemos o passeio e no outro partimos pra Aracajú.

O parque está conservado, com algumas placas que tentam situar quem o visita nos mapas do que era a Canudos de 1897. O Nenéim nos levou e mostrou os lugares, visitamos o Vale da Morte, a Velha Fazenda e fomos até a ponta onde poderia se ver as ruínas da Velha Canudos se o açude não estivesse cheio. Mas no fim, ele estar cheio é algo bom para a cidade, então nem tem como se chatear com isso.

Para quem já leu Os’Sertões e para quem gosta dessa parte da história do Brasil, é uma visita que vale a pena. Valeu cada minuto dentro do ônibus.

Além do parque têm um museu mais perto do Centro com algumas peças escavadas e achaadas no parque, alguns textos sobre a história de Antônio Conselheiro e da Guerra de Canudos.

Foi realmente uma experiência única. Para sair de Canudos foi uma pequena aventura…rs
Tínhamos duas opções: voltar pra Feira de Santana e de lá enfrentar 5h até Aracajú, ou ir por Jeremoabo como o Nenéim sugeriu. E claro, foi a segunda opção que fizemos.

Então, pegamos um ônibus às 05h30 que ia até Jeremoabo (bem, nem precisa dizer que o ônibus não era de nenhuma empresa e a mochila foi entre as pernas mesmo…rs) e de Jeremoabo pegamos um ônibus que ia pra Aracajú passando por Lagarto. No fim, foi bem mais rápido do que se fôssemos por Feira. Mas foi com emoção! rs

Próxima parada: Aracaju.

Classificação

5 média baseada em 2 ratings

  • Excelente
    2
  • Muito Bom
    0
  • Médio
    0
  • Fraco
    0
  • Péssimo
    0

Margot

Quando minha vida saiu dos trilhos percebi que podia ir pra qualquer lugar. Virei mochileira depois dos 30 e criei o blog pra contar sobre essa aventura.

LEAVE A COMMENT

Diva De Mochila

No Diva de Mochila você acompanha a viagem de volta ao mundo de uma carioca-paulista que virou mochileira depois dos 30. Bem-vindo (a) ao blog!

No instagram

%d blogueiros gostam disto: